O exército de Stédile e a Venezuela


Graça Salgueiro 

 

lulamst

 
 
 
No dia 24 de fevereiro o PT, junto com a CUT e a FUP (Federação Única dos Petroleiros), organizou uma manifestação em defesa da Petrobras na Associação Brasileira de Imprensa, onde várias “autoridades” fizeram discursos tão falsos quanto inflamados. Dentre eles falaram o líder do MST, João Pedro Stédile e o ex-presidente Lula. Nenhum deles admitia a roubalheira desenfreada na estatal petroleira e muito menos que os indiciados cometeram crimes mas apenas “erros”.


Lá para as tantas Lula disse: “Eu quero paz e democracia mas se eles não querem, nós sabemos brigar também, sobretudo quando o João Pedro Stédile colocar o exército dele do nosso lado”. Nas ruas, a militância petista, com camisas vermelhas da CUT e do PT, mostrava já estar preparada distribuindo pontapés em pessoas que se manifestavam contra a presidente. Vejam a fala de Lula aqui.


Enquanto isto acontecia, o governo ordenava às tropas da Força Nacional de Segurança que fossem retirar os caminhoneiros em greve nas estradas que, ao contrário do que diz a mídia venal, não interditam as rodovias uma vez que ocupam apenas uma faixa e parte do acostamento. Segundo denunciou em discurso na Câmara o deputado Nilson Leitão, do PSDB/MT, dona Dilma “mandou a Força Nacional ‘descer a porrada’ nos caminhoneiros grevistas”.


No mesmo dia, na Venezuela, a Guarda Nacional Bolivariana e a Polícia reprimiam as manifestações atirando para matar. Em Táchira, o policial Javier Mora Ortiz disparou na cabeça do estudante de 14 anos, Kluiberth Roa, quando saía do colégio e ao ver a confusão tentou se esconder debaixo de um carro. O tiro foi fatal, mas o Ministério Público disse que o tiro foi com “bala de plástico”. O registro é chocante (assistam aqui).


Essa nova manifestação ocorreu em repúdio à Resolução nº 8.610, publicada no dia 23 de janeiro, que autoriza as forças de segurança a usar arma de fogo para “reprimir as manifestações”. Revolta ler o cinismo do que lá está escrito, uma vez supõe que os manifestantes são vândalos que a polícia necessita reprimir em defesa dos que não participam, mas sempre cuidando de não ferir ou maltratar ninguém. Assim, no Capítulo I, lê-se sobre o Objetivo:


“Art. 1º - A presente normativa tem como objetivo regular a atuação da Força Armada Nacional Bolivariana para garantir a ordem pública, a paz social, a convivência cidadã em reuniões públicas e manifestações, dentro do desenvolvimento do Estado Democrático e Social de Direito e de Justiça e a proteção dos direitos humanos”.


Os “direitos humanos”, a “proteção especial à vida, à saúde e à integridade pessoal” são repetidos a cada capítulo, artigo e parágrafo. A proteção às pessoas em situação de “vulnerabilidade” também é citado, no entanto, Kluiberth Roa tinha apenas 14 anos e não participava das manifestações, mas foi assassinado fria e brutalmente.


O Artigo 5º, parágrafo 5, trata do “uso progressivo da Força” e mente sem o menor constrangimento, quando diz: “...os procedimentos dirigidos a garantir a ordem pública, a paz social e a convivência cidadã (...) rege-se pelos princípios de legalidade, necessidade e proporcionalidade, utilização da escala progressiva em função da resistência e oposição (...) devendo sempre manter o menor nível de uso da força possível para a consecução do objetivo proposto”.


No Capítulo IV, que trata desse “uso progressivo da força”, o Artigo 22, parágrafo 7 descreve quando pode-se empregar o uso da “violência mortal”: “Criação de uma situação de risco mortal, frente ao qual funcionária ou funcionário militar, aplicará o método de uso da força potencialmente mortal, bem como a arma de fogo ou com outra arma potencialmente mortal”.


O método é o mesmo. Há anos venho denunciando que o MST é o braço armado do PT, que foi treinado e armado pelos terroristas das FARC. Mas agora foi o próprio Lula quem confessou e, assim como ocorre em Cuba com as “Brigadas de Resposta Rápida” e na Venezuela com suas “Guardas Bolivarianas”, o Brasil com o  “exército de Stédile” vai delineando cada vez com mais clareza, o que quer e está fazendo o Foro de São Paulo (FSP). O Foro é a Hidra Vermelha, com seus mil tentáculos. Mas ainda tem gente que acredita que pode desmantelar essa mega organização criminosa fazendo cara feia, ou pior: que o FSP não é isso que denunciamos...


A propósito deste artigo, meu programa Observatório Latino do dia 27 de fevereiro na Radio Vox, trata com mais detalhes desses temas. Ouçam aqui.


* Artigo escrito para o Jornal Inconfidência de Minas Gerais, ampliado.


 
DISCURSO DE BENJAMIN NETANYAHU NO CONGRESSO AMERICANO (INGLÊS)


POR QUE OS GENERAIS COLOMBIANOS VÃO À CUBA?
O que os generais vão fazer em Cuba? * Coronel Luis Alberto Villamarín Pulido Em extensa entrevista com o jornalista Guillermo Parada da emissora radial UN Radio, da Universidade Nacional, transmitida pelo dial FM 98.5 com retransmissão para sua cadeia de emissoras no país e no exterior,..


VENEZUELA: FASCISMO ORDINÁRIO DO SÉCULO XXI
FASCISMO ORDINARIO DEL SIGLO 21 Darío Acevedo Carmona Para los demócratas del continente no puede haber duda alguna de que Nicolás Maduro, el impostor, y el tenebroso Diosdado Cabello, señalado de ser el jefe del cartel de los soles, han sometido a Venezuela a una auténtica dictadura y condenado a su pueblo a sufrir la escasez alimentaria consecuencia del estruendoso fracaso de su modelo económico estatizante...


COLOMBIA: PAZ COM OU SEM JUSTIÇA?
¿PAZ CON UMBRAL O SIN UMBRAL DE JUSTICIA?   Darío Acevedo Carmona Animado por la visita del exsecretario general de la ONU Kofi Annan y por el nombramiento de un veedor del gobierno estadounidense, el presidente Santos anuncia que ahora sí entramos en una “fase decisiva” de las conversaciones de paz...


 
 
 
 
 
.