VW IX - A CRECHE

 

A CRECHE

Jacy de Souza Mendonça



10/03/2019



As empregadas mulheres queixavam-se com frequência das dificuldades de trabalhar não tendo com quem deixar os filhos. Comovidos, decidimos proporcionar-lhes uma creche.  Foi construído um prédio no terreno do Clube VW e recrutado o pessoal especializado para cuidar das crianças: pedagoga, enfermeira, pediatra, cozinheira...

Preparada a inauguração, convidei o arcebispo para a bênção inaugural. Respondeu-me estar impossibilitado, porque tinha viagem aprazada para Roma. Retruquei-lhe que a inauguração estava adiada para depois da volta dele. Retornou e não deu sinal. Cobrei resposta e tive o dissabor de ler que os compromissos assumidos com o operariado não lhe permitiam participar de eventos dos empregadores... A creche foi inaugurada sem a desejada bênção e nos proporcionou imensa alegria.

Mães chegavam à fábrica de ônibus, com o filho no colo. Em vez de irem para o local de trabalho, dirigiam-se a outro ônibus que as levava à creche, onde deixavam as crianças com o pessoal que cada vez mais se afeiçoava a elas um sentimento recíproco.

A creche só deu um problema: as crianças não podiam ficar eternamente lá, por isso foi estabelecida uma idade limite (se bem me lembro, 3 anos). Quando as crianças atingiam esse limite e deviam abrir vaga para outras, as mães protestavam. Vinham em comissão ao meu escritório, choravam... e eu nada podia fazer!

É uma das obras inesquecíveis de RH. Não sei como acabou.